top of page

DESENVOLVIMENTO DIRETO EM ANFÍBIOS ANUROS: O QUE É E POR QUE SURGIU?

Texto: Carolayne Santino 

Revisão: Erika Santana


Imagem 1 - Indivíduo da espécie Haddadus binotatus (rã-do-folhiço), pertencente à família Craugastoridae, uma das famílias de anuros com exclusividade em reprodução com desenvolvimento direto. Foto: Abel Pérez González, 2005.



Se você costuma acompanhar as matérias aqui no site, com certeza você leu a respeito dos modos reprodutivos em anuros e viu que esse grupo tem diferentes formas de reprodução. Se você ainda não leu, segue o link abaixo! (https://www.herpetocapixaba.com.br/post/modos-reprodutivos-em-anuros-as-diferentes-formas-de-reprodu%C3%A7%C3%A3o).

Dentre os  mais de 74 modos reprodutivos conhecidos, existe um muito peculiar e, justamente por esse motivo,  é visto apenas em algumas  famílias da ordem Anura. Nesta matéria, você vai conhecer o desenvolvimento direto em anuros e entender como algumas famílias evoluíram a esse ponto e por quais motivos. 




Imagem 2 - Indivíduo da espécie Adelophryne maranguapensis (sapinho maranguapense), pertencente à família Eleutherodactylidae, mais uma família de anuros com exclusividade em reprodução com desenvolvimento direto. A. maranguapensis deposita seus ovos principalmente em bromélias de onde, posteriormente, eclodirão os filhotes. A espécie é rara e endêmica da Serra do Maranguape, Ceará e está ameaçada de extinção devido ao seu pequeno espaço de distribuição e ainda pelos impactos humanos naquela área. Foto: Pedro Peloso.



Imagine uma pequena rã em sua fase adulta que mede, aproximadamente, apenas 2 cm, e agora imagine o filhote dessa rã saindo do ovo e sendo exatamente igual a ela, mas um pouco menor. Pode parecer difícil imaginar que essa forma de reprodução exista, ainda mais quando estamos acostumados com a forma estereotipada dos girinos que, ao longo do tempo, irão se metamorfosear em sapos. Isso é o desenvolvimento direto! Ou seja, nada mais é que a eclosão de anuros filhotes mas em miniatura dos adultos com perda da fase larval (girino). 




Por que surgiu o desenvolvimento direto em anuros como um de seus modos de reprodução? 


O desenvolvimento direto é também chamado de estratégia reprodutiva, visto que há uma diminuição significativa do risco de predação e mortalidade ainda na fase larval, justamente a fase em que há maior chance de serem predados devido à vulnerabilidade. Dessa forma, pressões seletivas (predação, competição, condições do clima e etc.) fizeram com que algumas famílias de anuros evoluíssem a ponto de seus filhotes já nascerem prontos e diminuir o risco de morrerem.




Imagem 3 - A imagem mostra de forma didática os possíveis fatores que, juntos, desencadearam uma pressão seletiva em algumas famílias de anuros determinando assim, a estratégia reprodutiva denominada desenvolvimento direto. Fonte: imagem retirada do artigo “Revisão do desenvolvimento direto em anuros: a evolução de uma estratégia reprodutiva”, 2022. 





Referências


AMPHIBIAWEB. Adelophryne maranguapensis. 2024. Disponível em: https://amphibiaweb.org/species/5713. Acesso em: 25 abr. 2024.


FONTANA, Rodrigo Barbosa; BOTH, Camila; HARTZ, Sandra Maria. REVISÃO DO DESENVOLVIMENTO DIRETO EM ANUROS: a evolução de uma estratégia reprodutiva. Oecologia Australis, [S.L.], v. 26, n. 03, p. 411-423, 15 set. 2022. Oecologia Australis. http://dx.doi.org/10.4257/oeco.2022.2603.02


NUNES-DE-ALMEIDA, Carlos Henrique Luz; HADDAD, Célio Fernando Batista; TOLEDO, Luís Felipe. A revised classification of the amphibian reproductive modes. Salamandra: German Journal of Herpetology, [s. l], v. 57, n. 3, p. 413-427, jun. 2021.




40 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page