top of page

PÍTONS SÃO SIMPLESMENTE ECTOTÉRMICAS?

Texto: Giulia da Silva Marchiori


A temperatura corpórea é um fator crucial para diversas questões inerentes à biologia dos vertebrados, influenciando rotas metabólicas, comportamentos alimentares e reprodutivos, funções hormonais, etc. Portanto, dada a importância da temperatura corporal, os animais necessitam regulá-la, permitindo que seu corpo se encontre sempre em uma temperatura ideal para determinada situação. Assim, surgiram métodos como a endotermia e a ectotermia, distintos entre si em diversos fatores como os tipos de recursos utilizados para a regulação e a quantidade de energia empregada nesta.

Você sabe o que é ectotermia? É um processo de regulação da temperatura corporal, os animais dependem de fontes de calor externo para manter seu equilíbrio térmico. Portanto, chamamos esses animais de “ectotérmicos”. Do contrário, endotérmicos geram calor através de processos metabólicos.

Imagem 1: Foto de uma Python molurus bivitattus. Autor: Gustavo Rivas.


O que é comum de ser relatado é que répteis são exclusivamente ectotérmicos, mas a questão é que existem animais que utilizam-se tanto da endotermia quanto da ectotermia, como é o caso da Píton. Vários desses indivíduos apresentam endotermia facultativa, ou seja, por um determinado tempo eles conseguem manter uma estreita faixa de temperatura corporal. Mas quando isso acontece?


Esses animais realizam um modelo de cuidado parental, no qual as fêmeas cuidam dos seus ovos e filhotes durante um determinado tempo. E é nesse momento que é possível ver a endotermia facultativa acontecendo: elas incubam seus ovos e, deste modo, regulam a temperatura corporal de sua prole.


Acredita-se ainda que tremores musculares reproduzidos pelas pítons, nesse momento de cuidado parental, seja o mecanismo capaz de fornecer aumento na temperatura do indivíduo, e é esse calor que é passado para os ovos no processo de incubação.

Agora você já sabe dos mecanismos de regulação térmica e também que eles podem ser combinados em alguns indivíduos de forma facultativa.



REFERÊNCIAS:

Museu de ciências e tecnologia PUCRS. Cuidado parental. Disponível em https://www.pucrs.br/mct/cuidado-parental/ . Acesso em 04 de NOV. 2022

RAMESH, C.; BHUPATHY, S.. Breeding biology of Python molurus molurus in Keoladeo national park, Bharatpur, India. The Herpetological Journal, v. 20, n. 3, p. 157-163, 2010.

RODRIGUES, P. Endotermia em cinodontes não-mamalianos: a busca por evidências osteológicas. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS - BR, 2005.




24 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page