OVO MOLE, CABEÇA DURA, TANTO BATE ATÉ QUE FURA!

As tartarugas marinhas (tartarugas são répteis que vivem no mar, diferente dos cágados e jabutis) são animais Amniota assim como nós, mamíferos (igual o teu cachorrinho e/ou gato de estimação), os répteis não-avianos (cobras, lagartos, etc.) e as aves em si.


Texto: Lucas Rosado Mendonça



Filhotes de Tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) nascendo - Fotografia: Lucas Rosado Mendonça


Mas o que significa ser Amniota?

Este é um termo utilizado para descrever uma característica que todos nós temos em comum, o folheto embrionário chamado âmnio, o que, basicamente, constitui-se em uma membrana que envolve o embrião dos animais citados acima. E onde encontramos essa estrutura? Em nós, durante o desenvolvimento embrionário (dentro da barriga de nossas mães), mas em alguns outros animais, como a tartaruga marinha, dentro do ovo! Essa foi uma das características que possibilitou a vida existir em terra firme, possibilitando maior desbravamento do continente.


E quais são essas características?

O âmnio, que envolve o embrião e protege contra impactos; o cório, que permite trocas gasosas, deixando o embrião respirar, e protege contra impactos (é localizada logo abaixo da casca do ovo); o alantóide que retira do embrião todas as excretas (urina e fezes) provenientes do desenvolvimento do embrião (é como a bolsa de coco, talkei?); e o saco vitelino que funciona como uma dispensa, armazenando e disponibilizando alimento para o embrião poder se desenvolver.


Mas o que de especial tem o ovo das tartarugas?

A casca é mole, um exemplo é a tartaruga-cabeçuda ou careba dura (Caretta caretta Linnaeus, 1758). Mole como o ovo dos anfíbios, peixes e outros répteis. Por que isso acontece? Para fazer a ovoposição (botar os ovos) ela vai precisar nadar até chegar à praia, com movimentos de rastejo ela sobe pela areia e em uma determinada região, começa a cavar um buraco com suas patas traseiras (cerca de 50 cm de profundidade), onde iram ficar seus ovos (uns 100!). Eles serão colocados do alto, então vão caindo como se fossem bolinhas de tênis saindo da máquina (já viram em filmes né?). Imaginem agora se fossem todos duros iguais os de galinha! Estes ovos vão ficar enterrados na praia por cerca de 50 dias (varia de 40 a 60). E então acontece. Os bebês começam a nascer, rompendo a casca do ovo com o bico córneo - uma estrutura na cabeça que logo após é perdida - e se deparam com aquele amontoado de areia sobre eles (areia fofa, mas ainda sim muita areia). Uma luta para sair se inicia a partir do movimento de alguns, esses poucos dão coragem e acordam seus irmãos que estão nascendo ao monte. A subida parece infinita, e os mais lentos vão ficando para trás, soterrados novamente pela movimentação dos irmãos.


Em “tiros” de agitação a subida vai terminando (tiros pois existe uma pausa, para a areia voltar a se oxigenar, e eles respirarem, não vamos esquecer né?). A subida pode demorar até 3 dias. Quando finalmente esses pequenos conseguem sair da areia começa-se outra batalha muito mais difícil, estimasse que apenas 1 filhote a cada 1000 consiga chegar a vida adulta, já que agora ele enfrenta muitos organismos como: aves, caranguejos, peixes, mamíferos e principalmente, nós. A praia agora apresenta um grande número de tráfego de pessoas, animais, bicicletas e em alguns casos até mesmo, carros, compactando o solo e prejudicando a saída e podendo esmagar os ovos, pra complicar ainda mais a vida desses carinhas (que já é muito fácil né?). Quando conseguem ficar vivos vem então um grande problema, o lixo. Estima-se que 100 mil animais marinhos morrem todos os anos por causa do lixo.


Tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) - Fotografia: Lucas Rosado Mendonça



E o que você pode fazer para ajudar?

Quando estiver na praia e avistar uma tartaruga desovando ou um possível ninho de tartaruga não passe por cima dele e avise teus amigos, familiares e pessoas para tomarem cuidado. Acione o órgão ambiental do seu estado e confirme que alguém deles irá vir dar atenção ao ninho! Não vamos deixar que a nossa ação irresponsável prejudique esses pequenos e mate os adultos. Recolha também o teu lixo e diminua a quantidade produzida para assim termos um mar mais limpo e saudável para todos!


Telefone do IBAMA no Espírito Santo: (27) 3089-1150



Referências

BARONI, 2019. A. Mais de 100 Mil animais marinhos morrem por ano por causa do lixo gerado pela indústria da pesca. Disponível em: https://mercyforanimals.org.br/100-mil-animais-morrem- lixo-industria-pesca. Acessado em 20 de janeiro de 2019.


TAMAR. Sobrevivência. 2019. Disponível em: http://www.tamar.org.br/interna.php?cod=97. Acessado em 20 de janeiro de 2019.


POUGH, F.H. et al. 2008. A vida dos vertebrados. Atheneu. 4 ed. SP.

53 visualizações

©2019 by Herpeto Capixaba. Proudly created with Wix.com