O USO DE RÉPTEIS NA MEDICINA ALTERNATIVA

Texto: Izadora Silveira Fernandes


Existem muitas crenças populares no que diz respeito a anfíbios e répteis. Você já ouviu falar que “tartaruga” embaixo da cama cura asma? Ou que partes de animais podem ser usadas para repelir picadas de serpentes?


Desde os tempos antigos existem diversas formas de praticar a medicina tradicional/alternativa, seja através dos vegetais ou dos animais. Em regiões rurais do Brasil muitas vezes esta é a forma de se obter “tratamento médico”. Continue lendo para conhecer mais a medicina tradicional do nosso Brasil.

Figura 1: (A) Chelonia mydas. Autor: Laurad; (B) Caiman latirostris. Autor: Leonardo Merçon.


Os jacarés


A população indígena do Amazonas, por exemplo, afirma que o jacaré-tinga (Caiman crocodilus) e o jacaré-açu (Melanosuchus niger) possuem várias funções, incluindo a utilização da gordura no tratamento de AVC, epilepsia, reumatismo, doenças respiratórias em geral ou mesmo para o consumo. Além disso, seus dentes são usados como amuleto contra picada de serpentes. Já a gordura do famoso jacaré do papo amarelo (Caiman latirostris) é utilizada para frieira, derrame e picada de serpente e o dente e para estimular o nascimento de dentes em humanos.


Os quelônios


Os quelônios em geral, são muito utilizados pela população ribeirinha do rio Negro. Eles tomam chá da carapaça do mata-matá (Chelus fimbriatus) para curar problemas respiratórios e hemorrágicos e usam a carapaça do jabuti (Geochelone spp.) para picada de serpentes.


A gordura da Podocnemis expansa funciona como hidratante enquanto a gordura da Chelonia mydas é utilizada para tratar asma, bronquite e reumatismo. Em casos extremos, é comum conciliar estas ações ao tratamento médico das grandes cidades.


Afinal, estes animais têm o poder de resolver todas essas questões? Bom, estes tratamentos da medicina alternativa não possuem comprovação científica, mas é importante lembrar que estas crenças são culturais e estão presentes, principalmente, nas populações rurais e/ou indígenas. Por isso, a educação ambiental se faz necessária na instrução e sensibilização dessas pessoas, como forma de conscientizá-las da importância da conservação destas espécies.


REFERÊNCIAS


Begossi, A; braga, B. Food taboos and folk medicine among fishermen from the Tocantins River (Brazil). Amazoniana, v. 12, n. 1, p. 101-118, 1992.


Espaço ecológico. Ter uma tartaruga melhora a asma? Conheça mitos e verdades. 2019. Disponível em: <https://espacoecologiconoar.com.br/ter-uma-tartaruga-melhora-a-asma-conheca-mitos-e-verdades> Acesso em: 30 ago 2020.


Laurad. Tartaruga-Verde. Disponível em: <shutterstock.com> Acesso em: 01 set. 2020.


Merçon, L. Caiman latirostris. 2017. Disponível: <https://www.biofaces.com/post/93740/jacare-de-papo-amarelo-caiman-latirostris-broad-snouted-caiman> Acesso em: 01 set. 2020.


Silva, A. L. Animais medicinais: conhecimento e uso entre as populações ribeirinhas do rio Negro, Amazonas, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 3, n. 3, p. 343–357, 2008.


56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo