top of page

ENGODO PEDAL?

Texto: Bárbara Santos Teixeira Costa


Caso seja um leitor frequente do site, deve ter notado nossos textos sobre o engodo caudal das serpentes! Mas sabia que existe um outro tipo de engodo nos anfíbios? Venha com a gente e descubra!!

Figura 1: A perereca Phyllomedusa burmeisteri sobre uma folha no Parque Estadual Cachoeira da Fumaça, Alegre, ES. Autoria: Thiago S. Soares (Instagram: @thiagobiotrips).



Revisando, engodo caudal é uma adaptação utilizada para fins alimentícios, frequentemente vista em algumas serpentes das famílias Viperidae, Elapidae, Colubridae e Dipsadidae. A serpente que realiza essa tática apresenta a ponta da cauda com coloração esbranquiçada, e o resto do corpo com coloração críptica. Desta forma, a serpente se posiciona num ambiente onde consiga se camuflar e movimenta sua cauda em movimentos conspícuos, para que se pareça um verme. Desta maneira ela consegue enganar e atrair sua presa para que tente predar sua cauda, e então, ela ataca e garante sua refeição!


O engodo pedal segue o mesmo princípio do engodo caudal, enganar para comer! Porém, a principal diferença é que ele é feito por anuros com os dedos das patas. Ele foi descrito para algumas espécies de anfíbios da família Leptodactylidae, geralmente terrícolas, ou seja, que são encontrados sobre a serrapilheira. Eles possuem coloração críptica, assim como as serpentes, e de forma similar ao comportamento delas, os anfíbios se camuflam no ambiente até avistar sua presa, então realizam movimentos conspícuos com os dedos das patas para simular o movimento de um verme com o seu engodo pedal para enganar e se alimentar de sua presa!


Entretanto, existe uma outra espécie da família Hylidae que também possui engodo pedal, a Phyllomedusa burmeisteri (Figura 1). A P. burmeisteri se alimenta principalmente de insetos, é noturna e ocorre na Mata Atlântica, desde a Bahia até São Paulo e também em Minas Gerais. Além disso, ao contrário de outros anfíbios que possuem engodo pedal, ela não apresenta hábitos terrícolas, e sim de hábitos arborícolas. A P. burmeisteri possui uma coloração verde, pois se camufla entre as folhagens e assim, consegue obter seu alimento, de forma semelhante aos outros anfíbios com engodo!

E aí? Sabia dessa?! É definitivamente impressionante como animais tão distintos desenvolvem técnicas tão similares e efetivas!



Referências

BERTOLUCI, J. Pedal luring in the leaf-frog Phyllomedusa burmeisteri (Anura, Hylidae, Phyllomedusinae). Phyllomedusa: Journal of Herpetology, v. 1, n. 2, p. 93-95. 2002.

ETEROVICK, P. C.; SOUZA, A. M. de; SAZIMA, I. Anfíbios anuros da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil. PUCMINAS. 2004.

LIMA, J. E. de P.; ROEDDER, D.; SOLÉ, M. Diet of two sympatric Phyllomedusa (Anura: Hylidae) species from a cacao plantation in southern Bahia, Brazil. North-Western Journal of Zoology, v. 6, n. 1. 2010.

53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page