top of page

ELAS SÃO DENTUÇAS: GÊNERO BITIS E AS MAIORES PRESAS ENTRE AS SERPENTES

Atualizado: 28 de mai.

Texto: Antonio Soares-Júnior

Revisor: Juan David Gutiérrez-Marín



Quando falamos de serpentes, vários pensamentos e curiosidades vêm à mente e talvez o primeiro deles esteja relacionado a serem ou não venenosas, nos fazendo pensar em suas presas. E se tratando diretamente delas, você já parou para pensar qual serpente teria as maiores presas?


Figura 1: Víboras do gênero Bitis Fonte: Warner, 2009



O gênero Bitis faz parte das serpentes pertencentes à família viperidae (Figura 1), as espécies deste gênero habitam florestas subtropicais no continente africano, possuem hábitos terrestres e sedentários, podendo permanecer imóveis durante semanas em locais estratégicos à espera de uma presa. No início da vida são mais generalistas, alimentando-se de aves, répteis e anfíbios, já na fase adulta se tornam especialistas em mamíferos.


Alguns representantes desse gênero possuem um corpo que pode alcançar 1,8 m de comprimento, enquanto outros não ultrapassam os 1,4 m. A Bitis gabonica é considerada a mais pesada entre as víboras, pesando de 7 a 10 kg. São mestres na arte da camuflagem, sua cabeça é grande e com aparência de folha seca que em conjunto as formas geométricas organizadas e distribuídas pelo corpo, ajudam na camuflagem perfeita, tornando-se completamente invisível entre o substrato (Figura 2).

O gênero Bitis faz parte das serpentes pertencentes à família viperidae (Figura 1), as espécies deste gênero habitam florestas subtropicais no continente africano, possuem hábitos terrestres e sedentários, podendo permanecer imóveis durante semanas em locais estratégicos à espera de uma presa. No início da vida são mais generalistas, alimentando-se de aves, répteis e anfíbios, já na fase adulta se tornam especialistas em mamíferos.


Alguns representantes desse gênero possuem um corpo que pode alcançar 1,8 m de comprimento, enquanto outros não ultrapassam os 1,4 m. A Bitis gabonica é considerada a mais pesada entre as víboras, pesando de 7 a 10 kg. São mestres na arte da camuflagem, sua cabeça é grande e com aparência de folha seca que em conjunto as formas geométricas organizadas e distribuídas pelo corpo, ajudam na camuflagem perfeita, tornando-se completamente invisível entre o substrato (Figura 2).


Figura 2: Víbora Do Gabão (Bitis gabonica) em posição de emboscada. Conseguiu encontrar? Fonte: Warner, 2009

E aí, tá curioso para saber o tamanho das presas?


Figura 3: Bitis gabonica: Foto: Paula Oliveira, CIMETOX, Malanje, Angola, 2015


Esses representantes do gênero Bitis, possuem presas que podem ultrapassar o tamanho de 4 cm de comprimento, são os maiores dentes entre as serpentes. Sua dentição é solenóglifa, são consideradas recordistas na produção de veneno, capazes de injetar uma alta quantidade de peçonha, aproximada 9,7 ml de um coquetel de proteínas que pode ocasionar grave hipotensão, hemorragias e lesões dos tecidos no local da picada . Porém, se comparado a outras representantes do gênero Bitis a toxicidade do seu veneno é menor. Seus dentes enormes também ajudam a segurar e direcionar a presa, puxando-a para o esôfago.


Mesmo com todo esse poder, a Víbora do Gabão é uma serpente de comportamento pacifico (em relação a outros indivíduos do gênero Bitis), com poucos relatos de acidentes (ocorrência em cativeiro) e óbitos.







Referências 


Jonathan Kirk Warner. 2009. Conservation Biology of the Gaboon Adder (Bitis gabonica) in South Africa. Dissertação de Mestrado não publicada, Escola de Ciências Animais, Vegetais e Ambientais da Universidade de Witwatersrand, Joanesburgo, África do Sul.


Paula Regina Simões de Oliveira. 2018. Venenos e envenenamentos por serpentes de importância médica em Angola. Tese do 3º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Doutoramento em Ciências Farmacêuticas - Especialidade de Toxicologia, Faculdade de Farmácia Universidade do Porto.



101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page